Início Atualidade Caso EDP: Magistrada que já foi casada com membro do GES solicita...

Caso EDP: Magistrada que já foi casada com membro do GES solicita afastamento do processo judicial.

Caso EDP: Magistrada que já foi casada com membro do GES solicita afastamento do processo judicial.

A juíza-adjunta do julgamento do Caso EDP apresentou um incidente de escusa

A juíza-adjunta do julgamento do Caso EDP, Margarida Ramos Natário, que foi casada com um alto quadro do Grupo Espírito Santo (GES), apresentou um incidente de escusa para que o Tribunal da Relação decida se deve continuar no coletivo. Isso ocorreu após a defesa de Manuel Pinho e Alexandra Pinho solicitarem que a juíza avalie sua imparcialidade, alegando que seu ex-marido teria recebido 1,2 milhões de euros através da sociedade ES Enterprises, considerado o ‘saco azul’ do GES.

Início da sessão atrasado

A situação acabou por atrasar um pouco o início da sexta sessão do julgamento no Juízo Central Criminal de Lisboa.

Juíza anuncia pedido à Relação

Antes do início da sessão, Margarida Ramos Natário anunciou o pedido à Relação para avaliar sua continuidade no coletivo, alegando que o faz por respeito à justiça e à função de juiz, e não porque considere que algo tenha mudado.

 

MAIS:  Reforma pan-europeia (PEPP): Maior flexibilidade e proteção para o seu plano de reforma
Artigo anteriorPortugal saiu do pódio das dívidas públicas europeias, confirma Eurostat
Próximo artigoA ineficiência das redes elétricas está retardando a transição energética