Início Atualidade Implementação da semana de trabalho de quatro dias em Portugal reduz exaustão...

Implementação da semana de trabalho de quatro dias em Portugal reduz exaustão e melhora saúde mental dos trabalhadores

Projeto-piloto em Portugal mostra redução de exaustão com semana de trabalho de quatro dias

A implementação da semana de trabalho de quatro dias reduziu os níveis de exaustão em 19% bem como a frequência de outros sintomas relacionados com saúde mental. As conclusões são do relatório intermédio do projeto-piloto realizado em Portugal ao longo de seis meses, cujos resultados foram divulgados esta terça-feira.

Redução de sintomas relacionados com a saúde mental

As conclusões do inquérito intermédio – os resultados finais só serão conhecidos no início de 2024 – mostram que, entre os cerca de mil trabalhadores das 41 empresas que participaram neste projeto-piloto, verificou-se, “três meses após o início do projeto-piloto”, uma redução da frequência de sintomas relacionados com a saúde mental, como ansiedade, fadiga, depressão, tensão, solidão e insónia ou outros problemas de sono.

Redução de ansiedade, fadiga e outros sintomas

O índice de ansiedade diminuiu em 21%, ao passo que a fadiga reduziu-se em 23%, a insónia e outros problemas de sono em 19%, os estados depressivos e tensão em 21% e a solidão em 14%. Os resultados revelam ainda que mais de 85% dos trabalhadores tiveram uma melhoria de, pelo menos, um dos indicadores relacionados com a saúde mental.

MAIS:  Novo regulamento do Banco de Portugal sobre reserva de capital para risco sistémico no mercado imobiliário

Redução do tempo de trabalho

Mais de metade dos trabalhadores conseguiram reduzir o tempo de trabalho no imediato. O número médio de horas semanais efetivamente trabalhadas foi de 36,5, o que significou uma redução de 11,3% face ao registado antes do início do projeto-piloto.

Desafios ainda presentes

No entanto, ao fim de três meses do projeto-piloto, 25% dos trabalhadores não tinha conseguido gozar do dia livre previsto e 5% referiram que trabalhavam ainda mais de 50 horas por semana. Muitos admitiram ainda que acabavam por usar o dia livre para terminar tarefas pendentes.

Mais empresas devem testar a semana de quatro dias

Apesar de haver um “impacto enorme” na saúde mental dos trabalhadores, o coordenador do projeto-piloto Pedro Gomes sublinhou que “estes argumentos não podem ser usados para justificar uma implementação da semana de quatro dias por legislação”. Porém, devem ser “encorajadas mais empresas a testar a semana de quatro dias, sobretudo grandes empresas”.

Conclusões sobre a semana de trabalho de quatro dias em Portugal

– Implementação da semana de trabalho de quatro dias reduziu exaustão em 19%
– Frequência de sintomas relacionados com saúde mental também diminuiu
– Redução de ansiedade, fadiga, insónia, estados depressivos e solidão
– Mais de 85% dos trabalhadores tiveram melhorias na saúde mental
– Tempo de trabalho reduzido em mais de metade dos trabalhadores
– Desafios ainda presentes, como não poder gozar do dia livre previsto
– Coordenador do projeto-piloto incentiva mais empresas a testar a semana de quatro dias.

MAIS:  Polícia Judiciária identifica 425 "mulas" de dinheiro causando prejuízo de 16,7 milhões de euros em Portugal
Artigo anteriorO preço do petróleo diminuiu 3%. Está atingindo seus níveis mais baixos desde junho em Londres
Próximo artigoBolsa de Lisboa encerra em alta seguindo tendência das praças europeias