Início Atualidade Contribuintes podem deduzir 30% do IVA das faturas de ginásios ao IRS

Contribuintes podem deduzir 30% do IVA das faturas de ginásios ao IRS

O IVA dos ginásios passa a ser de 30% para incentivar a exigência de fatura no IRS

Novo benefício fiscal permite dedução de 30% do IVA nas faturas de ginásios

Os contribuintes que tenham gastos com ginásios vão passar a poder deduzir ao IRS 30% do IVA das faturas respectivas, no âmbito do benefício fiscal do IVA pela exigência de fatura. Atualmente essa dedução está limitada a 15%.

Medida aprovada no Parlamento como parte do Orçamento do Estado para 2024

A medida foi aprovada esta segunda-feira no Parlamento, no âmbito da votação na especialidade do Orçamento do Estado para 2024 e resulta de uma proposta de alteração apresentada pelo grupo parlamentar do PSD. Teve os votos favoráveis dos socialistas e da direita. O Bloco e o Livre optaram pela abstenção e o PCP votou contra.

Benefícios fiscais da dedução pela exigência de fatura

O benefício fiscal da dedução pela exigência de fatura permite deduzir à coleta de IRS um montante até 250 euros correspondente a 15% do IVA suportado por qualquer membro do agregado familiar num conjunto de atividades elencadas na lei e que incluem gastos em alojamento e restauração, oficinas de reparação de automóveis e motociclos, cabeleireiros ou veterinários e ginásios.

MAIS:  Hoje, 03/11/2023, o preço do Bitcoin em Portugal registra uma queda superior a 2%, com os ursos procurando romper o suporte de 34 mil dólares

Aumento da dedução para 30% nos custos com ginásios

O que o PSD propôs e a maioria socialista viabilizou foi que em vez de 15%, o IVA dos custos com ginásios passasse a ser dedutível em 30%. O teto dos 250 euros, no entanto, mantém-se tal como está.

Promoção da atividade desportiva e bem-estar

Na nota justificativa com que acompanhou a proposta de alterações, o PSD sublinha a importância da prática desportiva “para a manutenção do estado de saúde e bem-estar, quer físico quer mental do indivíduo” e lembra que os números em Portugal mostram que o país está longe do que seria o ideal a este nível. “É fundamental que o Estado se assuma ativamente como agente promotor da prática e facilitador do acesso à atividade desportiva, nomeadamente por via dos mecanismos de fiscalidade ao seu dispor”, sustentam os deputados social-democratas.

Artigo anteriorOs trabalhadores da TAP Portugal aceitaram o novo Acordo Coletivo de Trabalho
Próximo artigoO Bitcoin está passando por um momento delicado e corre o risco de queda de 8,5%, de acordo com um especialista