Início Atualidade Governo português acelera progressões na carreira e deixa cair medida de fiscalização...

Governo português acelera progressões na carreira e deixa cair medida de fiscalização de baixas médicas

Governo português acelera progressões na carreira e deixa cair medida de fiscalização de baixas médicas

GOVERNO PORTUGUÊS ACELERA PROGRESSÕES NA CARREIRA DE TÉCNICO SUPERIOR E DEIXA CAIR MEDIDA DE FISCALIZAÇÃO DE BAIXAS POR DOENÇA

O Governo português chegou a um acordo com a Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) para antecipar os efeitos das alterações à avaliação de desempenho, acelerando as progressões na carreira de técnico superior. De acordo com a Fesap, o número de pontos exigidos para uma progressão obrigatória será reduzido de dez para oito. Esta mudança será aplicada já no atual ciclo avaliativo e terá efeitos a partir de 2025. O Governo garante que esta alteração abrange 65% dos funcionários públicos.

Além disso, o Governo prometeu acelerar a revisão da carreira de técnico superior nos próximos meses. A Fesap destaca que o Governo mostrou vontade em rever a carreira dentro de um curto espaço de tempo.

No entanto, o Governo decidiu deixar cair a medida que aumentava a fiscalização das baixas por doença. A Fesap afirma que essa medida foi retirada e a situação permanecerá como está.

Esta decisão do Governo foi encarada positivamente pelos sindicatos, pois acelera medidas favoráveis aos funcionários públicos e deixa de lado medidas que não estavam alinhadas com seus interesses, como as mudanças nas baixas médicas.

MAIS:  Empresas reforçam compromisso com utilização ética e responsável da inteligência artificial

O sindicalista José Abraão, da Fesap, afirmou que o importante é que as alterações sejam concluídas, independentemente do motivo. Segundo ele, tudo indica que essas medidas serão implementadas e os problemas serão resolvidos.

Artigo anteriorAir France-KLM e IAG interessadas na privatização da TAP – Lufthansa mantém silêncio
Próximo artigoA venda de lotes para fins públicos de construção está isenta de IRS e IRC