Início Atualidade Cervejeiros consideram aumento fiscal de 10% injusto e incompreensível

Cervejeiros consideram aumento fiscal de 10% injusto e incompreensível

Cervejeiros consideram aumento fiscal de 10% injusto e incompreensível

Os Cervejeiros de Portugal consideram proposta de Orçamento do Estado para 2024 “injustificada e incompreensível”

Os Cervejeiros de Portugal criticam a proposta de Orçamento do Estado para 2024 (OE2024) que prevê um aumento de 10% no imposto sobre o álcool e as bebidas alcoólicas (IABA). A associação afirma que essa medida coloca o setor em “desvantagem face a outras bebidas com teor alcoólico”. Alegando que o imposto apenas se aplica a uma parte das bebidas alcoólicas, os Cervejeiros consideram o aumento injusto e prejudicial para a indústria nacional.

Cervejeiros de Portugal lamentam a taxação em álcool “bom” e “mau”

Os Cervejeiros de Portugal expressam descontentamento com a taxação diferenciada que existe para o álcool. A associação considera que é injusto e sem justificação taxar determinadas bebidas alcoólicas sem levar em conta a taxa de inflação do país. Eles destacam que o aumento de 10% no imposto sobre o álcool e as bebidas alcoólicas prejudica a indústria nacional e dificulta a sua competitividade em relação a mercados concorrentes como o espanhol.

Cervejeiros de Portugal vão pedir audiências com os partidos políticos

Os Cervejeiros de Portugal anunciaram que vão solicitar audiências com os partidos políticos representados no parlamento. Pretendem discutir e apresentar os seus pontos de vista em relação ao aumento de 10% no imposto sobre o álcool e as bebidas alcoólicas proposto no Orçamento do Estado para 2024. O objetivo é encontrar soluções que beneficiem a indústria nacional e promovam o seu desenvolvimento.

MAIS:  Goldman Sachs prevê aumento do preço das ações da EDP para 5,4 euros

Governo pretende encaixar mais dinheiro com impostos sobre tabaco e bebidas alcoólicas

O Governo português estima que, com o aumento da tributação sobre produtos de tabaco e do Imposto sobre o Álcool e as Bebidas Alcoólicas (IABA), irá arrecadar mais 216,2 milhões de euros no próximo ano. Esta previsão baseia-se no crescimento do consumo privado e na procura interna. As taxas de imposto serão atualizadas de acordo com essa estimativa.

Artigo anteriorCentros comerciais atingem recorde de faturamento em 2022, alcançando 9.770 milhões, superando 2019.
Próximo artigoERSE alerta: Empresas de luz e gás estão usando faturas para manipular contratos.