Início Atualidade Centros comerciais atingem recorde de faturamento em 2022, alcançando 9.770 milhões, superando...

Centros comerciais atingem recorde de faturamento em 2022, alcançando 9.770 milhões, superando 2019.

Centros comerciais atingem recorde de faturamento em 2022

Centros comerciais em Portugal registaram crescimento de 8,4% em 2021

Os centros comerciais em Portugal fecharam o ano passado com um volume de negócios de 9.770 milhões de euros, traduzindo um crescimento de 8,4% em relação a 2019, batendo o recorde do ano pré-pandemia. Este é um dos dados constantes de um estudo sobre o impacto socioeconómico do setor, apresentado no congresso anual da Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC).

Setor emprega cerca de meio milhão de pessoas e contribui com 6,4% do IVA

À luz do estudo, o setor dos centros comerciais emprega atualmente perto de meio milhão de pessoas, contribuindo com 6,4% da receita do Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA) em Portugal.

Tráfego de centros comerciais prevê-se semelhante a 2019

Os centros comerciais recebem mais de 475 milhões de visitantes por ano, sendo de esperar que os valores relativos a 2023, que apresentam uma trajetória de aumento, sejam semelhantes aos registados em 2019, ano em que o número de visitas atingiu um recorde, refere a APCC.

MAIS:  Os sindicatos expressam preocupação com a venda da Efacec à Mutares

Sustentabilidade é um foco para o setor do retalho organizado

O estudo revela que 57,1% dos operadores de centros comerciais produzem energia fotovoltaica ou estão a desenvolver projetos na área, e que a taxa média de reciclagem na indústria é de 52,8%. Além disso, metade dos centros comerciais detêm certificados em sustentabilidade e bem-estar para edifícios.

Centros comerciais são um catalisador para o desenvolvimento económico e social

A APCC destaca que os centros comerciais são um motor de desenvolvimento económico e social em Portugal. As lojas físicas continuam a desempenhar um papel fundamental, e os consumidores portugueses ainda têm preferência pelo contacto pessoal. Os centros comerciais estão a posicionar-se como alavancas nesse sentido.

Artigo anteriorElkington e os anos mais empolgantes de sua carreira
Próximo artigoCervejeiros consideram aumento fiscal de 10% injusto e incompreensível