Início Atualidade Spotify atinge mais de 600 milhões de utilizadores ativos mensais em 2023

Spotify atinge mais de 600 milhões de utilizadores ativos mensais em 2023

Spotify ultrapassa 600 milhões de utilizadores ativos mensais em 2023

A plataforma de “streaming” de música Spotify anunciou que atingiu mais de 600 milhões de utilizadores ativos mensais no quarto trimestre de 2023. A empresa apresentou os resultados do ano passado antes da abertura em Wall Street, e o número de utilizadores chegou a 602 milhões, superando as expectativas dos analistas.

Número de subscritores também aumentou

O número de subscritores, ou seja, utilizadores que pagam para usar a plataforma, cresceu 4% em relação ao trimestre anterior, alcançando 236 milhões. Isso está acima das perspetivas de 235 milhões. Durante o ano de 2023, a plataforma viu esse número crescer em 31 milhões, um recorde histórico anual, de acordo com a empresa.

Reação positiva dos investidores

Os investidores reagiram positivamente aos resultados do Spotify, e as ações da empresa em Nova Iorque chegaram a subir 11,39%, atingindo máximos de finais de novembro de 2021.

Resultados financeiros

No entanto, apesar desses números positivos, a empresa registou perdas de 70 milhões de euros nos últimos três meses do ano, após ter registrado lucros de 65 milhões de euros no trimestre anterior. No acumulado de 2023, os prejuízos foram de 532 milhões de euros, em comparação com 430 milhões em 2022. As receitas também ficaram abaixo das expectativas dos analistas, alcançando 3,67 mil milhões de euros no quarto trimestre.

MAIS:  Vítimas do BPP alertam sobre quase não sobrar dinheiro após Estado ter sido ressarcido

Expectativas para 2024

Para o próximo ano, o Spotify espera alcançar 618 milhões de utilizadores mensais ativos, o que representa um crescimento mais lento em comparação ao ano anterior. Além disso, a empresa projeta que o número de subscritores chegue a 239 milhões, o que resultaria em receitas do primeiro trimestre de 3,6 mil milhões de euros.

Posicionamento futuro

Apesar dos desafios financeiros, a empresa acredita que está bem posicionada para melhorar o crescimento e a rentabilidade, considerando as tendências favoráveis nas receitas e rentabilidade até 2024.

Artigo anteriorLisboa encerra em alta mesmo com a família EDP atingindo mínimos de outubro
Próximo artigoComissão Europeia propõe redução de 90% das emissões e tornar a UE neutra em termos de clima