Início Atualidade A digitalização e a inovação tecnológica na experiência do cliente entre as...

A digitalização e a inovação tecnológica na experiência do cliente entre as principais tendências do mercado imobiliário para 2024

Engel & Völkers

A digitalização e a inovação tecnológica na experiência do cliente estão entre as principais tendências do mercado imobiliário para 2024, já que são fatores que ganham cada vez mais destaque no mercado imobiliário devido ao crescente impacto que a tecnologia têm no quotidiano das pessoas. Para 2024, prevê-se uma maior integração de soluções digitais, como visitas virtuais, inteligência artificial e plataformas online para transações imobiliárias, com o objetivo tornar a experiência do cliente mais eficiente e personalizada, proporcionando uma jornada ágil e conveniente no mercado imobiliário.

Esta é uma das tendências verificadas pela Engel & Völkers, que ainda destaca para o próximo ano a inovação do design e criação de espaços funcionais e a  sustentabilidade e a eficiência energética.

A inovação do design e a criação de espaços funcionais é outra das principais tendências para o próximo ano, já que é notável um interesse cada vez maior dos consumidores por ambientes diferentes e versáteis. Com a evolução da procura por habitação, ganham destaque projetos imobiliários que integrem tecnologias inteligentes, soluções energéticas eficientes e cujo foco é promover o bem-estar dos residentes.

MAIS:  Melhor solução para o novo aeroporto de Lisboa é Alcochete e Vendas Novas

Relativamente à sustentabilidade e a eficiência energética é notável que a consciencialização ambiental e a preocupação com as mudanças climáticas estão a influenciar as decisões de compra e investimento. Em 2024, espera-se uma preferência significativa por propriedades que adotem práticas sustentáveis, eficiência energética e soluções ecológicas, com certificações ambientais e tecnologias verdes integradas.

De acordo com a Engel & Völkers, o mercado imobiliário em Portugal está a moldar-se a uma era de transformações aceleradas, ao adotar a sustentabilidade, a tecnologia e a inovação como pilares essenciais para impulsionar o progresso.

Artigo anteriorRecuperação das ações americanas: é hora de olhar para além das gigantes de tecnologia?
Próximo artigoStone Capital investe em reabilitação de imóvel no bairro da Graça, em Lisboa