Início Atualidade Aumento de 2,5% nos custos de construção em agosto devido à mão-de-obra

Aumento de 2,5% nos custos de construção em agosto devido à mão-de-obra

Aumento de 2,5% nos custos de construção em agosto devido à mão-de-obra

AUMENTO DE 2,5% NOS CUSTOS DE CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÃO NOVA EM AGOSTO

Em agosto, os custos de construção de habitação nova aumentaram 2,5%, trata-se de um aumento de uma subida de 0,4 pontos face ao observado no mês anterior, de acordo com as estimativas do INE divulgadas esta segunda-feira.

SUBIDA IMPULSIONADA PELO CUSTO DE MÃO-DE-OBRA

A subida foi impulsionada, sobretudo, pelo custo de mão-de-obra que cresceu 7,1%. Um valor superior à evolução registada em agosto de 2022 (6,9%), mas que tem vindo a recuar desde junho, mês em que se situou nos 8%. Em julho tinha subido 7,2%.

PREÇO DOS MATERIAIS APRESENTA VARIAÇÃO NEGATIVA DE -0,7%

Já o preço dos materiais apresentou uma variação homóloga de -0,7%. Entre os materiais que mais influenciaram negativamente a variação agregada do preço estão “a chapa de aço macio e galvanizada que apresentou um decréscimo de cerca de 25% em termos homólogos, o aço para betão e perfilados pesados e ligeiros e os materiais de revestimentos, isolamentos e impermeabilização, todos com descidas de cerca de 20%”, detalha o INE.

MAIS:  Centros comerciais atingem recorde de faturamento em 2022, alcançando 9.770 milhões, superando 2019.

DESTAQUE PARA O CRESCIMENTO DE ALGUNS MATERIAIS

Em sentido oposto, destacaram-se “o cimento, o betão pronto, as tintas, primários, subcapas e vernizes, as madeiras e derivados de madeira, os mármores e produtos de mármore e os equipamentos de cozinha” com crescimentos homólogos de cerca de 10%.

TAXA DE VARIAÇÃO MENSAL DE 0,1% EM AGOSTO

No período em análise, a taxa de variação mensal do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova (ICCHN) foi de 0,1% em agosto, mais 0,1 pontos percentuais face ao mês anterior”, conclui o INE.

A subida foi impulsionada, principalmente, pelo custo de mão-de-obra que cresceu 7,1%. O preço dos materiais teve uma variação homóloga de -0,7%. Destacaram-se o cimento, betão pronto, tintas, madeiras e derivados de madeira com crescimentos homólogos de cerca de 10%. A taxa de variação mensal do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova (ICCHN) foi de 0,1% em agosto.

Artigo anteriorPeso dos impostos ambientais no PIB atinge mínimo desde 1995
Próximo artigoNovas metas europeias de descarbonização da aviação não são viáveis