Início Atualidade Fed dos Estados Unidos não cortará juros até inflação atingir meta

Fed dos Estados Unidos não cortará juros até inflação atingir meta

american economy

RESERVA FEDERAL DOS ESTADOS UNIDOS NÃO DEVE CORTAR JUROS ATÉ INFLAÇÃO REGRESSAR À META DE 2%

A Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos não vai cortar juros até estar “confiante” que a inflação está a regressar à meta de 2%, mas deverá ser “apropriado” recuar ainda este ano, segundo explicou o presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, que está esta tarde na audição semi-anual de política monetária perante o Congresso norte-americano.

CICLO DE SUBIDAS DE TAXAS DE JURO DESDE 2022 PODERÁ CHEGAR AO FIM EM BREVE

Após um ciclo de subidas que dura desde 2022, o Comité Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) tem vindo nos últimos encontros de política monetária a manter o intervalo de taxas de juro inalterados entre 5,25% e 5,5%. Está assim desde julho, enquanto o balanço do banco central tem vindo a ser reduzido a um ritmo que Powell descreve como “rápido”, mas “previsível”.

EXPECTATIVAS DO MERCADO APONTAM PARA CORTES DE JUROS NO ENCONTRO DA FED EM JUNHO

Na semana passada, a queda nos gastos na indústria e no setor da construção nos Estados Unidos, bem como um enfraquecimento das despesas do consumo privado (PCE) – o indicador favorito do banco central para avaliar a inflação – levou a um ajustamento das expectativas do mercado para os próximos passos da Fed. Com os dados económicos a darem conta de um arrefecimento da economia-norte americana, cerca de 75% dos “traders” estão convictos de que o primeiro corte dos juros de referência acontecerá no encontro de política monetária da Fed de junho.

MAIS:  Um estudo sugere que as organizações de caridade em Portugal podem aproveitar a "falácia do apostador" para obter doações maiores em criptomoedas

FED AVISA SOBRE OS RISCOS DE REDUZIR A RESTRIÇÃO POLÍTICA CEDO DEMAIS

O ‘outlook’ económico é incerto e o progresso em curso no sentido do nosso objetivo de inflação nos 2% não está assegurado”, avisou Powell. “Reduzir a restrição política demasiado cedo ou demasiado tarde pode resultar numa reversão dos progressos que temos observado na inflação e, em última análise, obrigar a ainda mais aperto monetário para trazer a inflação de volta a 2%.” Simultaneamente, reduzir cedo de mais ou muito pouco pode enfraquecer excessivamente a atividade económica e o emprego”.

Artigo anteriorInflação nas economias do G20 desacelera em janeiro com apenas Argentina e Turquia acima dos 10%
Próximo artigoDos Grados realiza uma jornada de reflorestação na central solar do Fundão com a participação de 50 alunos do ensino básico de Pêro Viseu e Alcaria