Início Atualidade Inflação nas economias do G20 desacelera em janeiro com apenas Argentina e...

Inflação nas economias do G20 desacelera em janeiro com apenas Argentina e Turquia acima dos 10%

Funcionários públicos sem acesso ao apoio de 30 euros, são alvo de alerta por parte da Provedora

INFLAÇÃO NAS ECONOMIAS DO G20 DESACELERA EM JANEIRO

A inflação no grupo das 20 economias mais industrializadas do mundo (o G20), onde se inclui a União Europeia (UE), abrandou ligeiramente para 6,4% em janeiro. Os dados divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) revelam que a inflação em cada uma das economias mais industrializadas é inferior a dois dígitos, com exceção da Argentina e Turquia.

ARGENTINA E TURQUIA REGISTAM ALTAS TAXAS DE INFLAÇÃO

Entre os países do G20, destacou-se a Argentina, onde a inflação atingiu os 254,2% em janeiro deste ano. Além disso, a Turquia também teve uma inflação acima dos dois dígitos, chegando a 64,9% em janeiro.

RESTANTES PAÍSES DO G20 MANTÊM INFLAÇÃO ABAIXO DOS 10%

Excluindo a Argentina e a Turquia, os restantes países do G20 tiveram no arranque do ano uma inflação abaixo dos 10%. No caso dos Estados Unidos, a inflação desacelerou de 3,4% para 3,1%, enquanto, na UE, a inflação abrandou de 3,4% para 3,1%. Além disso, países como Alemanha, Brasil, Canadá, Japão, França, Coreia do Sul e Índia também registraram desacelerações na inflação.

MAIS:  Inditex planeja reabertura de lojas na Ucrânia

CHINA APRESENTA DEFLAGRAÇÃO, REINO UNIDO E INDONÉSIA SE MANTÊM ESTÁVEIS

A China foi o único país do G20 em deflação, com uma inflação negativa de -0,8% em janeiro. Por outro lado, o Reino Unido e a Indonésia mantiveram suas inflações estáveis nos 4,2% e 2,6%, respectivamente.

ALGUNS PAÍSES AUMENTAM SUAS TAXAS DE INFLAÇÃO

Por outro lado, países como África do Sul, Itália, Arábia Saudita e México viram suas taxas de inflação acelerar no início do ano.

 

Artigo anteriorGoverno da Polónia prolonga plano de moratórias para famílias com dificuldades financeiras
Próximo artigoFed dos Estados Unidos não cortará juros até inflação atingir meta