Início Atualidade 72% dos portugueses equaciona comprar produtos reutilizados na Black Friday para conseguir...

72% dos portugueses equaciona comprar produtos reutilizados na Black Friday para conseguir preços mais baixos

Livros Wallapop

Uma pesquisa conduzida pela Wallapop, em colaboração com a MuP Research, revelou que os consumidores em Portugal estão notavelmente abertos à ideia de adquirir produtos reutilizados em vez de produtos novos nesta Black Friday. Segundo o estudo, 72% dos inquiridos consideram optar por esta opção de compra mais acessível e mais responsável.

No que se refere ao orçamento dos portugueses, 37% dos inquiridos indicaram estar dispostos a gastar 75 euros ou mais em artigos reutilizados na Black Friday deste ano, sendo que 16% admitem mesmo a possibilidade de investir acima de 100€ neste formato de consumo. De acordo com os dados, a expectativa média de gasto em produtos reutilizados situou-se por volta dos 57,5€.

A principal razão para a compra de produtos reutilizados, segundo o apurado neste estudo, foi a poupança. No entanto, a sustentabilidade ganha também relevância, com 20% dos participantes a considerar ser este o fator decisivo.

O âmbito principal deste estudo foi compreender as expectativas de consumo durante a temporada de descontos e identificar os preconceitos que ainda permanecem em relação à compra de produtos reutilizados. Nesse sentido, foi possível apurar que mais de 4 em cada 10 portugueses expressaram o compromisso de considerar a sustentabilidade ao fazer compras durante a Black Friday e o Natal deste ano. Analisando o panorama dos consumidores, registou-se que este foco na sustentabilidade é mais proeminente entre as mulheres.

MAIS:  Acordo da COP28 destaca a necessidade de abandonar os combustíveis fósseis

Este estudo refletiu uma mudança na mentalidade dos consumidores portugueses no que diz respeito ao consumo nesta época festiva. A preferência por produtos em segunda vida está em ascensão, destacando uma maior procura por opções mais acessíveis e sustentáveis.

Artigo anteriorBitcoin testa suporte de US$ 35.000, mas recupera para US$ 35.600 após volatilidade
Próximo artigoBolsa de Lisboa encerra no vermelho com quedas nas cotadas