Início Atualidade Avaliação bancária das casas em Portugal continua a subir

Avaliação bancária das casas em Portugal continua a subir

Avaliação bancária das casas em Portugal continua a subir

Avaliação bancária das casas continua a subir

A avaliação bancária das casas em Portugal subiu novamente em setembro, atingindo um valor médio de 1.541 euros por metro quadrado, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). Este valor mantém-se nos níveis mais altos desde janeiro de 2011. Em comparação com agosto, houve um aumento de 3 euros, representando um aumento mensal de 0,2%. No entanto, esta é a taxa de crescimento mais lenta desde fevereiro de 2023, quando houve uma queda de sete euros.

Taxa de variação e regionalidade

Em comparação com o mesmo período do ano anterior, a taxa de variação da avaliação bancária fixou-se em 7,8%, um valor ligeiramente inferior aos 8,8% registados em agosto. De acordo com o INE, a Região Autónoma da Madeira teve o maior aumento em relação ao mês anterior (2,8%), enquanto o Algarve teve a maior queda (-0,6%).

Apartamentos e moradias

Em relação aos diferentes tipos de habitação, os apartamentos tiveram o maior aumento, com um valor médio de avaliação bancária de 1.708 euros por metro quadrado, um aumento de 7,4% em relação a setembro do ano passado. O Algarve (2.148 euros/m2) e a Área Metropolitana de Lisboa (2.047 euros/m2) registaram os valores mais altos, enquanto o Alentejo registou o valor mais baixo (1.135 euros/m2). Quanto às moradias, o valor médio de avaliação foi de 1.198 euros por metro quadrado, representando um aumento de 5,5% em relação ao período homólogo. O Algarve (2.169 euros/m2) e a Área Metropolitana de Lisboa (2.080 euros/m2) tiveram os valores mais altos, enquanto o Centro e o Alentejo registaram os valores mais baixos (973 euros/m2 e 1.043 euros/m2, respetivamente).

MAIS:  Bolsa de Lisboa encerra em alta seguindo tendência das praças europeias

Regionalidade

Várias regiões apresentaram valores de avaliação acima da mediana do país. O Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa, a Região Autónoma da Madeira e o Alentejo litoral tiveram valores de avaliação superiores, enquanto o Alto Tâmega, as Terras de Trás-os-Montes e a Beiras e Serra da Estrela tiveram os valores mais baixos.

Número de avaliações bancárias

Durante o mês de setembro, foram realizadas 24.929 avaliações bancárias, o que representa uma diminuição de 3,5% em comparação com o mesmo período do ano anterior. No entanto, em comparação com agosto, houve um aumento de 1,3%.

Artigo anteriorRoubo de identidade entre os tipos de fraude interna que mais ameaçam a segurança das empresas 
Próximo artigoKepler Cheuvreux reduz o “alvo de preço” da Jerónimo Martins