Início Atualidade Lisboa alcança recordes máximos de mais de nove anos ao despedir-se de...

Lisboa alcança recordes máximos de mais de nove anos ao despedir-se de novembro

Lisboa alcança recordes máximos de mais de nove anos ao despedir-se de novembro

PSI avança 0,54% e atinge máximo desde 2014

O índice PSI avançou 0,54%, alcançando os 6.474,58 pontos, o valor mais alto desde julho de 2014. Esta subida deveu-se aos dados positivos sobre a inflação na Zona Euro. Das 16 empresas cotadas no índice, 12 encerraram com ganhos e quatro com perdas.

EDP Renováveis lidera ganhos

A empresa EDP Renováveis registou o maior ganho, com uma subida de 2,48%, chegando aos 16,75 euros por ação. Logo a seguir, a Greenvolt teve um avanço de 2,23% e alcançou 7,11 euros por ação. Ambas as empresas beneficiaram das análises positivas do BNP Paribas e Mediobanca, que aumentaram as respetivas metas para as ações da Greenvolt.

Mota-Engil e empresas de retalho também têm desempenho positivo

A Mota-Engil teve um ganho de 2,21% e fechou o dia com um valor de 3,695 euros por ação. Durante a negociação, as ações chegaram aos 3,765 euros, o valor mais alto desde março de 2018. No setor do retalho, a empresa Jerónimo Martins teve um ganho de 0,80% e a Sonae valorizou 0,70%.

MAIS:  Restalia fecha 2023 a crescer 31% no volume de vendas em Portugal

BCP e Galp também contribuem para o aumento do PSI

O BCP teve uma subida de 0,36%, alcançando os 0,3082 euros por ação, e a Galp valorizou 0,26%, chegando aos 13,655 euros por ação. Estas empresas também contribuíram para o aumento do índice PSI.

Corticeira Amorim e EDP registam perdas

No entanto, nem todas as empresas tiveram um dia positivo. A Corticeira Amorim teve o pior desempenho, com uma queda de 0,55% e um valor de 9,05 euros por ação. A EDP também registou uma perda, caindo 0,39% e fechando o dia com um valor de 4,387 euros por ação.

Artigo anteriorPS destaca abertura para propostas da oposição e agradece trabalho do Governo
Próximo artigoOPEP+ decide cortar oferta de petróleo para evitar queda de preços