Início Atualidade Portugal alcança recorde histórico na produção de energia hídrica com bombagem em...

Portugal alcança recorde histórico na produção de energia hídrica com bombagem em 2023

Em 2023, os níveis de produção hídrica através do bombeamento nas barragens portuguesas alcançaram marcas históricas

Produção de energia hídrica de bombagem em Portugal atinge recorde histórico em 2023

A produção de energia hídrica a partir de bombagem atingiu um novo recorde em Portugal. No dia 15 de novembro, o país atingiu o valor anual mais elevado de sempre, com 2,5 TWh. Este marco coloca 2023 como o ano com a maior produção hídrica com bombagem de sempre, mesmo faltando mais de um mês para o final de dezembro. A informação foi divulgada pela REN – Redes Energéticas Nacionais.

O recorde anterior, de 2,3 TWh, foi registado no ano de 2022, apesar da seca severa e extrema que Portugal enfrentou. Segundo a REN, a barragem mais produtiva é a de Gouvães, da Iberdrola, responsável por 35% do total da produção com bombagem. As barragens de Alqueva e Venda Nova/Frades, ambas da EDP, contribuem cada uma com 20% da produção.

A capacidade instalada de bombagem em Portugal foi reforçada com a entrada em funcionamento da central hidroelétrica de Gouvães, que faz parte da gigabateria de Tâmega da Iberdrola. Atualmente, o Sistema Elétrico Nacional conta com uma potência instalada de 3.585 MW nas bombas hidroelétricas e uma potência hídrica total de 8.216 MW.

MAIS:  Goldman Sachs prevê aumento do preço das ações da EDP para 5,4 euros

A utilização de bombas hidroelétricas permite aumentar a garantia de abastecimento nos períodos secos e facilitar a integração de outras energias renováveis, como eólica e solar. Também permite armazenar excedentes de produção para uso durante os períodos de maior consumo.

A REN destaca que Portugal tem seguido uma trajetória sustentável na incorporação de fontes renováveis endógenas e mantido os objetivos de segurança de abastecimento e qualidade de serviço.

A expectativa é que nos próximos anos o uso das bombas hidroelétricas nas centrais hídricas continue a aumentar de forma relevante, devido à crescente incorporação de renováveis no Sistema Elétrico Nacional.

Artigo anteriorCMVM multa TAP em 50 euros por informação “não verdadeira” sobre Alexandra Reis
Próximo artigoMineiro solitário embolsa 1.162.400 euros ao incluir bloco com uma média de 5 anos para ser resolvido