Início Atualidade A quantidade de vendas de imóveis para estrangeiros em áreas de reabilitação...

A quantidade de vendas de imóveis para estrangeiros em áreas de reabilitação de Lisboa registou uma redução de 20%

A quantidade de vendas de imóveis para estrangeiros em áreas de reabilitação de Lisboa registou uma redução de 20%

Venda de habitação em Lisboa recua quase 20% para compradores internacionais

A venda de habitação a compradores internacionais na Área de Reabilitação Urbana de Lisboa (ARU) recuou quase 20% no primeiro semestre deste ano. De acordo com os dados da Confidencial Imobiliário, foram concretizadas 770 transações, perfazendo 442,9 milhões de euros, um valor 18% inferior ao alcançado em igual período do ano passado.

Compradores internacionais de 58 países

No total, as compras foram concretizadas por investidores de 58 países diferentes. A ARU de Lisboa abrange todas as freguesias da cidade, exceto Santa Clara, Lumiar e Parque das Nações. Os franceses e os norte-americanos são as nacionalidades que mais se destacam, gerando cada um 10% do número de imóveis adquiridos por internacionais.

Quebra também entre os compradores portugueses

A tendência de quebra na compra de habitação na ARU de Lisboa não se sentiu apenas entre os compradores estrangeiros, mas também entre os portugueses. No primeiro semestre, os compradores nacionais adquiriram 1.630 imóveis residenciais neste território, no total de 673,1 milhões, traduzindo quebras semestrais de 22% e 13%, respectivamente.

MAIS:  Portugal inaugura o Primeiro Resort a nível mundial que promove o Envelhecimento Saudável

Particulares adquiriram a maioria dos imóveis

No total, na ARU de Lisboa foram transacionados 3.150 imóveis residenciais no valor de 1.578 milhões. Os particulares adquiriram 76% dos imóveis e geraram 71% do montante investido. Entre estes, os estrangeiros geraram 24% das compras em número de imóveis e 28% em capital.

Aumento do interesse em freguesias fora do centro histórico

Em termos geográficos, o interesse dos estrangeiros por freguesias fora do centro histórico da capital tem aumentado. As zonas onde o número de transações internacionais mais cresceu foram territórios mais afastados, como Benfica e São Domingos de Benfica, Campolide, Alcântara, Areeiro e Alvalade.

Destaque para as freguesias de Estrela e Arroios

As freguesias que somaram o maior número de compras de estrangeiros foram a Estrela e Arroios, superando Santa Maria Maior, Misericórdia e Santo António.

Artigo anteriorEmpresário bracarense dirige corrida no Bahrain e faz parceria com grupo Bernardo da Costa
Próximo artigoCEPSA procura parcerias com 100 startups para promover a descarbonização e a segurança