Início Atualidade Um estudo sugere que as organizações de caridade em Portugal podem aproveitar...

Um estudo sugere que as organizações de caridade em Portugal podem aproveitar a “falácia do apostador” para obter doações maiores em criptomoedas

Estudo revela a influência da falácia do apostador nas doações em criptomoedas para instituições de caridade

Como a “falácia do apostador” afeta as doações em criptomoedas para instituições de caridade

Uma equipe de pesquisadores acadêmicos dos Estados Unidos publicou recentemente um estudo para investigar como a “falácia do apostador” afeta as doações em criptomoedas para instituições de caridade. As descobertas indicam que as organizações que aceitam doações de criptomoedas poderiam se beneficiar dos movimentos do mercado cripto.

Entendendo a tendência dos detentores de criptomoedas

Essencialmente, o trabalho da equipe explora a ideia de que as pessoas geralmente interpretam mal certos sinais padrão quando se trata de finanças. As instituições de caridade que entendem a tendência dos detentores de criptomoedas de manter ou mover ativos com base no sentimento do mercado podem otimizar suas estratégias de captação para obter maiores doações.

Recomendações práticas para as instituições de caridade

De acordo com o artigo, as descobertas apoiam recomendações práticas sobre como as instituições de caridade podem criar campanhas de arrecadação de fundos mais intencionais para aproveitar as eficiências de custo e tempo das criptomoedas. Ao considerar as recentes variações nos preços das criptomoedas e destacar a urgência de doar, as instituições de caridade podem criar estratégias mais eficazes para envolver os doadores de criptomoedas.

MAIS:  Elkington e os anos mais empolgantes de sua carreira

Estudo empírico e experimento online

A equipe testou sua premissa por meio de um estudo empírico de doações em criptomoedas para 117 campanhas em uma plataforma de crowdfunding online. Eles também realizaram um experimento online controlado para estudar os diferenciais no contexto de doações em criptomoedas. Após uma análise cuidadosa, a equipe determinou que o movimento do mercado estava diretamente relacionado à “ativação” da doação (primeiras doações) e ao tamanho das doações.

A influência da falácia do apostador

De acordo com o artigo, o experimento online expandiu a análise empírica e demonstrou que “as decisões dos doadores são afetadas por mudanças recentes no preço dos ativos, o que é consistente com a heurística da falácia do apostador.” A falácia do apostador se refere à tendência de as pessoas interpretarem erroneamente eventos históricos estatisticamente insignificantes como indicadores de probabilidades futuras.

A importância da confiança

Durante o estudo, os pesquisadores determinaram que os participantes têm maior probabilidade de ativar doações após haver quedas no valor dos ativos. Isso ocorre porque os doadores se sentem mais confiantes de que os preços subirão após a doação devido à falácia do apostador. Eles também observaram que a confiança dos participantes na falácia do apostador é ampliada quando enfrentam apelos urgentes de doação.

MAIS:  Fundo francês adquire hotel M.Ou.Co no Porto

Aplicação prática

Por fim, o artigo conclui que essas conclusões podem ser usadas como evidência empírica no processo de tomada de decisão para organizações e indivíduos que gerenciam instituições de caridade que aceitam doações em criptomoedas. A compreensão da influência da falácia do apostador pode ajudar as instituições de caridade a criar estratégias mais eficientes para envolver doadores de criptomoedas.

 

Artigo anteriorÉpoca das moedas alternativas? Desempenho de 30 dias e capitalização total do mercado indicam um momento promissor
Próximo artigoA crise económica afetou seriamente a população portuguesa nos últimos anos